terça-feira, 9 de agosto de 2016

4º concerto camerístico da Série "O Som que Toca a Alma" será realizado no dia 11 de Agosto


A Orquestra Sinfônica da UEL realizará no dia 11 de agosto, às 20h, o 4º concerto camerístico da Série "O Som que Toca a Alma". O concerto, que tem entrada gratuita e é aberto ao público em geral, acontecerá na Igreja Adventista do 7º Dia Central de Londrina que fica na Rua Natal esquina com Av. JK.
O programa, sob a regência de Evgueni Ratchev, contemplará obras do período barroco (Albinoni e Bach), clássico (Mozart) e contemporâneo (Genzmer). Os músicos da OSUEL Nildo Rocha Baía (violino) e Jussival Rocha dos Santos (flauta) serão os solistas do concerto.

Serviço:

Concerto da Série "O Som que Toca a Alma"
Local: Igreja Adventista do 7º Dia Central de Londrina - Rua Natal, 42 (esquina com Av. JK)
Dia: 11/08/2016, quinta-feira
Horário: 20h
Entrada gratuita


quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Resenha 'O que eu mais desejo'

O filme "O que eu mais desejo" começa a ser exibido hoje no Cine Com- Tour e ficará em cartaz até o dia 17 de Agosto. Veja a resenha de Luiz Zanin e pegue a próxima seção das 16 horas :) 



O mais interessante de O que Eu Mais Desejo é como o diretor Hirokazu Kore-Eda joga com a simplicidade. Seus filmes, e este, em particular, parecem despojados até o limite. São expurgados de qualquer firula cinematográfica, filtrados de efeitos, levados a uma singeleza zen.
Aqui, o ponto de vista é o da criança. Ou de algumas delas. A trama é mínima. Na ilha de Khyusu, dois irmãos vivem distantes depois que os pais se separaram. O mais velho mora numa extremidade da ilha, com a mãe; o mais novo no outro lado, com o pai. Na ilha há um vulcão. Ele derrama suas cinzas de um lado, enquanto do outro o sol brilha.
Poderia ser uma metáfora pesada sobre a vida difícil, mas, se for, é esculpida com tanta delicadeza que nem aparenta ser. Parece apenas registro de um fenômeno da natureza, com o qual todos sofrem de uma maneira ou de outra e do qual não vale a pena se queixar. O vulcão fumega e as cinzas invadem a casa e depositam-se sobre os objetos. Não há o que fazer senão limpá-los. Assim como não há o que fazer senão jogar na vida com as cartas que recebemos do destino.

Os desajustes humanos é que interferem mais. Por isso, o sonho de Koishi (Koki Maeda), o irmão mais velho, é reunir de novo toda a família. Mas, na ordem (ou desordem) das coisas humanas, isso não parece possível e nem mesmo provável.O mais novo, Ryunosuke (Oshihiro Maeda) vive com o pai, um músico de vida desregrada.
Por isso, Koishi sente esperança quando na escola ouve falar que um desejo, formulado quando dois trens de alta velocidade se cruzam, se realiza. É isso, apenas, o que se coloca no centro do filme: a realização de um desejo infantil, no quadro do que se poderia chamar de lenda urbana. À medida em que a ideia se propaga, outras crianças se juntam ao grupo pois todas têm algum desejo a ser realizado. Uma garota quer ser atriz. Outra pede apenas para chamar a atenção de um bibliotecário com pinta de galã. E por aí vai.
Freud dizia que todo sonho, depois de interpretado, se revelava uma realização de desejos. Os sonhos infantis seriam a prova mais direta dessa tese, pois ainda não sujeitos a tanta repressão como nos adultos, mostra os desejos que se expressam de forma explícita. Por isso, logo no começo, o garoto conta o sonho que teve durante a noite – que “nós quatro estávamos juntos outra vez”. Ou seja, pai, mãe e os dois irmãos. A lenda do encontro dos dois trens bala é a formulação desse desejo em termos de um acontecimento da vida real, como se uma espécie de fresta no tempo se abrisse nesse instante. Algo mágico, de ficção científica.
É apenas isso. Mas será? A sutileza do cinema de Kore-Eda nos faz pensar em algo mais. E esse acréscimo vem nas, digamos assim, entrelinhas do filme, naquilo que é sugerido e entrevisto. Por isso, há toda uma acuidade nesse olhar em aparência ingênuo, o das crianças, lançado sobre um determinado modo de vida. Centrado nesse ponto de vista infantil, o que sobressai é a trivialidade da vida dos adultos, perdidos em seus conflitos e seu egoísmo. Fechados, enfim, para o que existe de mais importante na existência. Essa essência se desvela mais ao olhar cheio de frescor da infância do que à pretensa sabedoria da vida adulta. Daí o filme adotar visual tão despojado que parece filmado de maneira casual. Pelo contrário, essa impressão de frescor é a mais difícil de ser obtida.
*A matéria foi veiculada no Caderno 2 do jornal O Estado de São Paulo

Serviço

Cine Com- Tour (Avenida Tiradentes, 1241 - Londrina)
Sessões: às 16h e às 20:30h
Ingressos: R$12 e R$ 6 (meia)

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

"O que eu mais desejo" no Cine Com- Tour a partir de amanhã




Sinopse

Na ilha japonesa de Kyushu, dois irmãos são separados após o divórcio dos pais. O mais velho, Koichi, foi morar com sua mãe na casa dos avós, localizada no sul da ilha, numa área campestre perto do preocupante vulcão Sakurajima. O irmão mais novo, Ryunosuke, manteve-se com o pai, guitarrista, no norte da ilha, região moderna e industrializada.
Durante uma aula, Koichi descobre com os amigos que a chegada do Trem Bala à ilha poderá mudar o destino dos habitantes locais, já que a crença popular diz que milagres acontecem quando dois trens se cruzam. Assim, o garoto decide orquestrar um plano para ver o cruzamento dos trens e concretizar seu desejo mais profundo: ver o vulcão entrar em erupção e destruir sua parte da ilha, para que ele, a mãe e os avós sejam obrigados a morar com o pai - reunindo novamente sua família.

Trailer



Serviço

Cine Com- Tour (Avenida Tiradentes, 1241 - Londrina)
Sessões: às 16h e às 20:30h
Ingressos: R$12 e R$ 6 (meia)
O filme estará em exibição até o dia 17 de Agosto

terça-feira, 26 de julho de 2016

Coros da Divisão de Música abrem vagas para crianças e adolescentes

A Divisão de Música da Casa de Cultura da UEL está abrindo uma nova turma de coral Infantil destinado para crianças e adolescentes de 6 a 13 anos. O início das atividades desse coral estão previstas para o dia 12 de agosto. O coro Juvenil também tem vagas abertas para jovens de 14 a 20 anos.
Os ensaios do coro Intantil 1 serão realizados nas quintas-feiras, das 18h30 às 20h e do Infantil 2, nas sextas-feiras, das 10h às 11h. Para participar os alunos devem fazer um teste (veja as datas disponíveis abaixo). O coro Juvenil tem ensaios nas segundas e quartas-feiras, das 18h às 20h e a audições de teste serão realizadas no horário dos ensaios.
A Divisão também conta com o Grupo Vocal Épocas e mais três coros, o Adulto (20 anos ou mais), o Tempos Dourados (com alunos da terceira idade), e o Estudantil, com alunos da UEL.

Coro Infantil 

As datas disponíveis para os testes do coro infantil são:

27/07 (quarta-feira) – das 11h às 12h e das 17h às 18h30min
28/07 (quinta-feira) – das 17h às 18h30min
29/07 (sexta-feira) – das 9h às 11h
01/08 (segunda-feira) – das 17h às 18h30min
02/08 (terça-feira) – das 11h às 12h
03/08 (quarta-feira) – das 11h às 12h e a das 17h às 18h30min
04/08 (quinta-feira) – das 17h às 18h30min
05/08 (sexta- feira) – das 9h às 11h 
08/08 (segunda-feira) – das 17h às 18h30min
09/08 (terça-feira) – das 11h às 12h
10/08 (quarta-feira) – das 11h às 12h e das 17h às 10h30min
11/08 (quinta-feira) – das 17h às 18h30min

Para mais informações ligue na Divisão de Música 3322-5224

Coro Juvenil

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Festival Internacional de Música de Londrina - Programação 21 de Julho

Banda de Música do 36º FIML

Apresentação da Banda Sinfônica do 36º FIML sob a regência de Lélio Alves e Celso Benedito
Local: Shopping Aurora
Horário: 16h


Série Petrobras apresenta
Recital de alunos

Piano da classe de Julija Botchkovskaia

Local: Centro Cultural SESI/ AML
Horário: 17h
Gratuito

Série Petrobras apresenta
Recital de alunos

Violão da classe de Tabajara Belo


Local: Centro Cultural SESI/ AML
Horário: 18h30
Gratuito

Estreia do espetáculo Araca, Arquiduquesa do Encantado


Araca, Arquiduquesa do Encantado” entra na programação do 36º Festival Internacional de Música de Londrina nesta quinta-feira (21) às 18h30 no Circo Funcart. Os ingressos custam R$5,00 (preço único).
Local: Circo Funcart
Horário: 18h30
Ingressos: R$5,00 (preço único)

Concerto Unopar

Concerto de Encerramento do 36º FIML


Sob a regência do maestro espanhol Josep Caballé Domenech, a Orquestra Sinfônica Jovem apresentará obras de Dvorak, Bernstein, Villa Lobos e Grieg. O diretor artístico do FIML, Marco Antonio de Almeida será o solista convidado.
Local: Catedral Metropolitana
Horário: 20h30
Ingressos: R$30,00 e R$15,00 (meia entrada)

Vivo Apresenta
Festival by Night

Festa de Encerramento

DJ Nezzo
Banda Homens e Caranguejos
Um dos arquitetos da Cultura Hip-Hop do Brasil, sendo pioneiro na construção dessa arte no Rio Grande do Sul há mais de 30 anos. Usando sempre como instrumento principal o Toca-discos.
Na sequência, Homens e Caranguejos banda Londrinense, que tem como principal influência musical o mangue-beat se apresenta, encerrando de forma festiva, o 36º FIML.
Local: Bar Valentino
Horário: 22h
Ingressos: R$10,00 e R$5,00

quarta-feira, 20 de julho de 2016

"E se vivêssemos todos juntos?" no Cine Com-Tour

SINOPSE 

Annie (Geraldine Chaplin), Jean (Guy Bedos), Claude (Claude Rich), Albert (Pierre Richard) e Jeanne (Jane Fonda) são melhores amigos há mais de quatro décadas. Enquanto os dois primeiros e os dois últimos são casados, o do meio é um tremendo solteirão convicto, que não se cansa de aproveitar a vida. Quando a saúde deles começa a piorar e o asilo se apresenta como solução para um deles, surge a ideia de todos morarem juntos. Mas a novidade acaba trazendo a reboque algumas antigas experiências, que irão provocar novas consequências na vida de cada um.



CRÍTICA

Por Luiz Zanin
A terceira idade (ou, no infeliz eufemismo, a “melhor idade”) é uma questão europeia, que começa também a aparecer no Brasil por causa do envelhecimento da população. Mais pessoas chegam à idade avançada, o que é vantagem pelo aumento da expectativa de vida, mas um problema adicional para famílias, cônjuges e a previdência social. Nesse nicho, ocupado recentemente por Hotel Marigold, inscreve-se também esse delicado filme francês E Se Vivêssemos Todos Juntos, de Stéphane Robelin.


Cinco amigos – dois casais e um solteirão mulherengo – se conhecem há mais de 40 anos e começam a enfrentar os problemas da velhice. Uma das mulheres se descobre com câncer, e esconde a doença do marido, este já um tanto esclerosado. Outro casal vive numa casa muito grande e sente-se solitário, pois os filhos já se foram há muito tempo e os netos não encontram muita motivação para visitá-los. O solteirão emprega seu tempo – e dinheiro – em prol das prostitutas da vizinhança, até descobrir que seu coração e outras partes da anatomia já não respondem como antes.
Com um elenco de grandes atores e atrizes, Robelin consegue ser agradável, divertido e razoavelmente realista nessa sua abordagem da terceira idade. Jane Fonda e Geraldine Chaplin são as duas mulheres, Jeanne e Annie. Seus maridos são Albert (Pierre Richard) e Jean (Guy Bedos). O dom juan é Claude (Claude Rich). Ao quinteto se une um companheiro muito mais jovem, Dirk (Daniel Brühl, de Adeus, Lênin), no papel de cuidador informal quando os mais velhos decidem resolver seus problemas morando juntos, o que é expresso pelo título do filme.
O melhor de E se Vivêssemos Todos Juntos é o senso de humor com que trata de situações propensas ao drama. O humor não esconde a realidade. Olha para ela e a tempera de humanidade. Quando um deles se espanta de que em abrigos para idosos só se encontre gente velha, parece dizer o óbvio. Mas esse óbvio fica engraçado vindo de alguém que parece um tanto fora de foco. E, além disso, aponta para o fato desagradável de que muitas vezes essas veneráveis instituições se transformam em depósitos de pessoas dependentes.
Desses achados, e de outros, vive o filme. Como o da pessoa que deseja um  caixão “mais alegre”para se enterrar, porque as cores dos tradicionais lhe parecem muito deprimentes. Lembra um pouco a personagem Zulmira, de A Falecida, de Nelson Rodrigues, cujo único sonho de vida era um enterro de luxo. Essa brincadeira um tanto fúnebre tem efeito de atenuar a meditação sobre a morte – inevitável em qualquer tipo de obra medianamente realista sobre o tema.
O que não torna E se Vivêssemos Todos Juntos um filme mórbido em momento algum. Pelo contrário, é muito mais um elogio à vida, que deve ser saboreada da melhor maneira possível, até o inevitável fim. Para isso, toca também num dos poucos temas verdadeiramente tabus da contemporaneidade – o sexo na terceira idade. A nossa hipócrita sociedade aguenta muita coisa, menos que os nossos velhinhos continuem a desejar, o que obviamente eles fazem até o fim.

Serviço

Cine Com- Tour (Avenida Tiradentes, 1241 - Londrina)
Sessões: diariamente às 16h e às 20:30h
Ingressos: R$12 e R$ 6 (meia)

terça-feira, 19 de julho de 2016

Festival Internacional de Música de Londrina - Programação do dia 20 de Julho

Música sobre rodas

O evento “Música Sobre Rodas” leva a música do Grupo Entre Nós em ônibus do Transporte Coletivo da cidade.
Horário: 8h da manhã, Linha 405 – Maria Cecília (Zona Norte)
Saída do Terminal Urbano Central


Banda de Música do 36º FIML – Maestro por um dia

Apresentação da Banda Sinfônica do 36º FIML sob a regência de Lélio Alves e Celso Benedito, com direito a surpresas na apresentação
Local: Calçadão
Horário: 11h


Série Petrobras apresenta
Recital de alunos

Classe de viola do profº Jairo Chaves

Local: Colégio Mãe de Deus - sala 18M
Horário: 17h
Gratuito


Série Petrobras apresenta
Recital de alunos

Cenas de Ópera

Apresentação de grandes árias de conhecidas óperas com a participação de alunos do FIML, enfatizando o aspecto interpretativo, priorizando dicção, fraseado e estilo. A coordenação é do maestro Alessandro Sangiorgi
Local: Teatro Zaqueu de Melo
Horário: 18h15
Gratuito


O Grande Circo Místico

Segundo dia de apresentação do “O Grande Circo Místico” com direção cênica de Sílvio Ribeiro e direção geral de Celso Branco, que narra a história do amor entre um aristocrata e uma acrobata e a saga da família proprietária do Grande Circo Knieps. Para a montagem londrinense, a obra teve as partituras especialmente arranjadas e privilegia o formato do canto coral acompanhado de piano ou mais instrumentos, com trechos voltados para solistas.
Local: Circo Funcart
Horário: 18h30 e 20h30
Ingressos: R$30,00 (R$15,00 meia)


SESI Cultural Apresenta

Minha vida é meu Sertão

Mescla da música, da poesia, da imagem e do cenário para descrever o sertão brasileiro. Paisagens de riquezas exuberantes, a necessidade da partida, a saudade doída e a apoteose do retorno são os momentos que descrevem a saga do sertanejo, com suas paixões e medos, com suas alegrias e tristezas.
Local: Centro Cultural SESI/ AML
Horário: 20h
Ingressos: R$10,00 (R$5,00 meia)


BNDES Apresenta

Noite de Gala

Artistas e professores do 36º FIML apresentam os melhores momentos do repertório barroco, clássico, romântico e contemporâneo. Uma festa para os ouvidos, um bálsamo para a alma!
Local: Teatro Crystal Palace
Horário: 20h30
Ingressos: R$20,00 e R$10,00 (meia entrada)


Vivo Apresenta

Festival By Night – Angela Maria e Bacalhau Samba Rock Clube

A Banda Bacalhau e a cantora lírica londrinense Ângela Maria contempla ós grande sucessos da cantora Ângela Maria, além de músicas inéditas do Grupo Bacalhau Samba Rock clube.
Local: Bar Valentino
Horário: 22h
Ingressos: R$10,00 e R$5,00 (meia entrada)